Candidato Frankenstein

 21 de Março de 2014
Postado por Wiabiliza

Muitos mitos e fantasias ainda rondam as “misteriosas” ferramentas utilizadas nos processos seletivos das empresas. Há os que acreditam que seus segredos serão mostrados em suas respostas, outros pensam com muita convicção que treinando bastante, poderão se sair cada vez melhores nos testes psicológicos, e tem ainda os que fantasiam que os testes tem o mesmo poder revelador de uma “bola de cristal”. Todos esses tem a certeza de que se não se saírem bem nos testes, serão eliminados…

Não sofram por isto. Esse temor é saboroso alimento para suas fantasias e faz crescer o mito. A consequência disto? Tensão, ansiedade e nervosismo, que são certamente as companhias mais indesejáveis nessa hora…

A menos que o sujeito avaliado tenha um severo desvio de personalidade, de conduta ou de caráter, ou uma patologia grave com implicações inclusive de ordem orgânica, não precisa se desesperar. Seguramente você não será eliminado pelo teste psicológico. Se fosse seu caso, provavelmente não estaria lendo e compreendendo esse texto.

Os testes projetivos, de personalidade são tão somente mais um recurso usado no momento de escolha de um novo ocupante para uma determinada vaga. Um recurso, na maioria das vezes utilizado para complementar uma determinada impressão ou tirar dúvidas, quase nunca com caráter eliminatório.

O contato sim! O contrato do olho no olho. Este vale mais que qualquer papel. A entrevista. O momento máximo de qualquer processo. Onde o candidato terá o direito de escolher entre ser ele mesmo e se apresentar com todas as suas virtudes e limitações, ou poderá escolher tentar ser “O candidato” para a vaga. Tentar… Em um processo bem conduzido onde a avaliação passa por uma equipe multidisciplinar (O Consultor, os Técnicos, RH, Interfaces mais importantes…), dificilmente o farsante vai permanecer intacto por todo processo…

O segredo então é o velho e bom clichê: “Seja o mais natural possível! Seja você mesmo!”. Sempre que lutamos por ser algo diferente daquilo que somos essencialmente, trazemos conosco a ansiedade, que tem a ingrata capacidade de esconder quem somos de fato, revelando um mistifório do que poderia ser o seu EU de fato. Te confunde e te fragmenta… Acertar o que o outro pensa é tarefa quase impossível, e por mais incrível que possa parecer, muitos acreditam que tem esse poder… Daí nessas tentativas, você fica esquisito, sem lugar, facilmente percebido… Hora é uma coisa, hora outra. Um pedaço de cada competência, peças de habilidades específicas e multidisciplinares, partes do perfil… Algo quase sem identidade:

Eis que surge um Candidato Frankenstein! Será este perfil que estão procurando?

 

Fabrício Maurício é Psicólogo, Especialista em Gestão de Pessoas, Escritor e autor do livro Batalha Interior – Escolhas da Vida publicado pela Editora Pandorga. É Coach e Consultor de RH da Wiabiliza – Soluções Empresariais.

www.fabriciomauricio.com.br

Deixe um comentário

Erro! Este email não é válido.